Dicas para sair do vermelho antes de negativar seu nome


Uma pesquisa realizada pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) em conjunto com a Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas (CNDL) mostrou que, no mês de março, três em cada dez consumidores chegaram ao final do mês no ‘vermelho’, pois não tinham condições de pagar suas contas. Ainda segundo o mesmo estudo, apenas 15% dos entrevistados tiveram sobra de dinheiro no período.

Quando o consumidor fica em débito com uma empresa, seu nome pode ser enviado para órgãos de Proteção ao Crédito, o que faz com que encontre taxas de juros mais altos na hora de buscar crédito para quitar estas dívidas.

Pensando nisso, separamos 3 dicas para quem está no vermelho, ou prestes a ficar no negativo, e quer resolver a situação antes de ter seu nome negativado:

•         Saiba quanto você deve: percebeu que sua conta está no vermelho ou que não conseguirá pagar a próxima fatura do cartão de crédito? Então corra! Veja que contas ainda precisam ser pagas e quanto você tem disponível para quitá-las. Entenda o que já pode ser cortado para que suas dívidas não fiquem ainda maiores. Controlar suas finanças é fundamental para que evite ter ainda mais dívidas que não consegue pagar.

•         Conheça os juros das suas dívidas: se você está devendo no cheque especial, no rotativo do cartão de crédito ou no financiamento de algo, por exemplo, é importante entender quanto de juros e Custo Efetivo Total você paga em cada uma destas dívidas. Isso é muito importante, pois assim descobrirá qual será o novo valor de sua dívida e poderá começar a procurar alternativas para pagá-la.

•         Conheça opções de empréstimo: Se você descobriu que de fato não terá como pagar suas dívidas, mesmo que faça cortes a partir de agora, é hora de ir atrás de opções de empréstimos com taxas mais baixas do que as que você tem para pagar atualmente.

E não é difícil achar taxas de juros mais baixas do que as do cheque especial e do rotativo do cartão. "A dica é simular a contratação do crédito no próprio banco onde se é cliente e nos sites de empréstimo online. De posse destas propostas, será possível saber se há condições melhores em instituições financeiras e trocar a dívida atual por uma mais barata.", diz Marcelo Ciampolini, CEO da Lendico.

Outra dica importante é que quando o cliente quiser fazer um empréstimo ele pode usar além das fintechs e do seu banco, o site do Bacen (www.bacen.gov.br). Lá ele encontra as informações sobre as taxas de juros dos bancos.