Jornada dupla com Cris Leal

Uma mãezona, uma líder. É assim que a leonina, Cris Leal, atual diretora da Peugeot no Rio Grande do Sul, se intitula. Nascida e criada em Porto Alegre, casada há 8 anos com o professor e advogado Rafael Corte Mello e mãe da pequena Antônia de 1 ano.

Formada em Direito pelo IPA, MBA Gestão Empresarial pela Fundação Getúlio Vargas – FGV, Cris conta um pouco da sua história ao Negócio Feminino. Confere, aí.

Negócio Feminino - Por que iniciou aos 17 anos no ramo automotivo?
Cris Leal - Fundamentalmente, oportunidade. Foi meu primeiro emprego fora do comércio familiar. A vaga era para a área de seguros, mas rapidamente eles perceberam meu potencial para vendas e me transferiram para este setor.

NF - Aos 21 anos se tornou gerente comercial de loja, antes disso pensou em algum momento ir para outra área?
CL - Eu fiz faculdade de Direito, cogitava ser advogada, mas acabei gostando do meu trabalho e segui nele. Concluí o curso, me especializei em Gestão e Coach, mas nunca exerci.

NF - O que os dois prêmios da Peugeot Brasil: o Lion D’Or em Gestão e Vendas representou pra você e para o Rio Grande do Sul, já que é diretora responsável pelas quatro concessionárias do Grupo aqui no Estado?
CL - Os prêmios representam a consolidação de todo um trabalho e a certeza de estarmos percorrendo os caminhos certos. É o resultado de um investimento na qualidade da equipe e do atendimento.

NF - Qual o segredo para uma mulher se destacar em um ambiente que é “total” masculino?
CL - Independente de gênero, acredito que é preciso saber delegar, confiar na equipe que trabalhamos. Para isso, é fundamental saber contratar e capacitar continuamente as pessoas.

NF - Como administrar essa relação de esposa, mãe e diretora?
CL - Com organização. É preciso otimizar o tempo e colocar  limites saudáveis: evito levar trabalho para casa e meus finais de semana e feriados são totalmente dedicados à família. Obviamente, me privo de algumas atividades que antes realizava com mais frequência, como academia, por exemplo. Mas estou satisfeita com a organização que imprimi na minha vida.

NF - Qual a semelhança e diferença da Cris mãe e a Cris diretora?
CL - A grande semelhança é que, tanto no trabalho como na família, procuro dar o exemplo. Eu “boto a mão na massa”, não tenho frescuras. Possivelmente por isso, tenho uma relação horizontal com minha equipe, que me vê como colega. Em casa, da mesma forma, procuro dar o exemplo, porque filhos aprendem com eles – os exemplos – e não com os discursos.

NF - O que a Antônia despertou na tua carreira?
CL - Antônia me regrou e trouxe mais qualidade de vida: hoje almoço em casa, coloco limites no trabalho e sou muito mais feliz. Embora ter filhos, trabalhar e viajar frequentemente seja uma rotina corrida, com ela tudo ganhou um novo sentido. Filhos nos fazem ver a vida com outros olhos, inclusive os excessos que cometíamos antes deles.

NF - Se não fosse do ramo automotivo, a Cris Leal seria o que hoje?
CL - Como falei antes, sou formada em Direito. É provável que esta seria uma opção, embora eu não me veja advogando.  Outra opção seria viver no exterior.

NF - O que o trabalho representa pra você?
CL - Eu gosto muito do que faço. Gosto de lidar com pessoas e ter metas. Meu trabalho tem muitos desafios e os desafios me movem. Por outro lado, adoro carros. Então juntou tudo isso e o trabalho para mim é uma grande fonte prazer e crescimento pessoal.


Rapidinhas:

Quem é Cris Leal? Uma mãezona, uma líder.

Uma referência? Meus pais, pelo exemplo de vida.

Sonho ou realidade? Um pouquinho de cada um, para dar tudo certo.

Livro ou filme? Adoro ambos.

Projeto que ainda queres desenvolver? Morar na praia.

 

Imagem por Wanderlei Oliveira