Cris escreve todas as sextas-feiras.
Eu e você, vamos nos conhecer?

 

Neste último mês, percorri a vida de forma distinta. Muitas coisas aconteceram de meados de abril até o final de maio. Agora chega junho e com ele, eu já consigo organizar melhor os meus dias, para enfim mergulhar nesse mundo que tanto me faz bem, o mundo da escrita, da crônica, do bate-papo ao pé da letra.

“O menino que veio das estrelas”, meu quinto livro, lançado em março deste ano, trouxe frutos de muito amor para minha vida. O meu menino me levou para passear em algumas escolas infantis de Porto Alegre, onde a criançada trabalhou a partir do livro e criou novas histórias e novas leituras que encheram meu coração de felicidade.

Com ele, também fui conhecer as mamães e a convite de duas escolas, homenageá-las neste mês de maio com uma palestra cheia de aconchego, onde eu coloco a culpa no seu devido lugar. Para que nós consigamos, longe dela, nos conectar com o lado mais natural da maternidade, a intuição. E dessa forma, tenhamos o entendimento das coisas da vida e o quanto nos boicotamos pela correria diária e o como podemos nos libertar dela. Sem mágica, só com clareza e olhar atento à relação.

Foram experiências únicas e novas para mim. Enriquecedoras. Exigiram uma dedicação diferente. E sabe como é, com uma criança de 1 ano e 4 meses em casa, ajeitar as melancias na carroça e conseguir dar conta das viagens, de montar palestra e encarar um novo trabalho, demora um pouco.

Em tempo, estou de volta! E para me redimir dessa ausência, quero compartilhar com vocês um pouco daquilo que eu acredito ser essencial na vida de toda a mulher que é mãe.

Já que o portal que emoldura nossa conversa é o Negócio Feminino, nada mais justo do que ter em mente que a maternidade é o “negócio" mais sério da nossa vida. Enquanto mães, temos identidade sim. E no entanto, nós mesmas, numa vontade louca de encontrar nosso “eu" perdido entre as mamadeiras e as fraldas, acabamos por achar que nossa identidade se resume somente àquilo que somos enquanto profissionais.

Para tudo!

Quem somos, vai muito além daquilo que fazemos para ganhar a vida, mesmo que seja com amor. Quer ver?

Eu sou Cris Lavratti, filha da Carmen, mãe do Martim. Adoro conversas acompanhadas de um bom vinho, bom humor é meu lema, abraços são a porta de entrada e ajudam a melhorar o dia, trocar experiências de vida, valem muito mais que um filme, se bem que filmes e livros são uma paixão. Gosto de gente! De fazer amizades, de subir na montanha e ver o mar. Gosto de dançar com meu filho desde que ele tinha um mês de vida. Gosto de ficar sem fazer nada por horas, perdida em meus pensamentos, porque é nesses momentos que nascem as histórias que amo escrever.

Sou impulsiva, grito, mas não gosto. Quando volto pra mim, digo baixinho, não farei isso de novo. E olha, que estou melhorando. Sou emotiva, emoção em forma de lágrimas fazem parte da minha vida, desde que me entendo por gente. Com elas transbordo as dores e as alegrias e recarrego as baterias para continuar na luta diária. Chorar, me faz bem. Sorrir, nem se fala. Gargalhar é um remédio e tanto.

Ah, sim, sou escritora, publicitária e colunista deste site aqui e o prazer é todo meu. Agora, me diz, quem é você? Vou adorar te conhecer.