Caroline escreve mensalmente, sempre nas terças-feiras.
A sua falta de foco é problema do seu “ambiente”

Notificações de redes sociais, e-mails que chegam a todo momento, reuniões inesperadas, solicitações do chefe, dos colegas e assim por diante, algo comum em nosso dia a dia de trabalho, não é mesmo?

São as pequenas e constantes distrações que acabam tirando o foco e diminuindo a performance. Ansiedade, preocupação, tédio, confusão mental, entre outros, são alguns dos sinais evidentes que atrapalham o poder de foco.

A nossa capacidade de atenção determina o nível de competência com que realizamos determinada tarefa, mas apesar da sua importância na construção de uma vida satisfatória e de realização na carreira, continuamos a insistir que as distrações do dia a dia ganhem esse jogo.

A atenção, segundo a neurociência, funciona como um músculo: se pouco utilizado definha, se bem utilizado melhora e se expande. Alcançar a grandiosidade na vida e na carreira depende dessa sutil habilidade.

Para começar a “malhar” esse músculo, você sabe deve saber responder sobre o que mais te distrai no trabalho?

Esse é o primeiro passo para a manutenção do foco, saber o que te distrai.

Não se trata de nunca perder o foco, mas sim de diminuir os períodos de tempo nos quais se perde o foco e saber como retornar a ele quando necessário. Existe a máxima ensinada em todas as escolas de administração que a repetição e prática de uma competência, conhecimento ou comportamento é o caminho para o desenvolvimento de uma habilidade. Com o foco é a mesma coisa.

E é nesse quesito que a maioria das pessoas se perdem, tentando forçar algo que não aceita e não funciona sob coerção. Você precisa entender como facilmente  é distraído sendo esta uma parte crítica da prática do foco. A obtenção e manutenção do mesmo depende de duas questões essenciais: Segurança e Desafios suficientes.

Logo, se você tem muitos desafios e pouca segurança, é possível que o seu grau de ansiedade e estresse esteja alto, o que prejudica a sua capacidade de foco. O mesmo ocorre se você tem poucos desafios e muita segurança, como produto dessa equação você encontrará tédio, e com isso, perde a capacidade de permanecer interessado, levando ao desengajamento nas atividades.

A fim de buscar o equilíbrio nas duas situações e manter o foco e utilizar plenamente as suas potencialidades no dia a dia, é necessário aliviar o senso de sobrecarga,  livrando-se das demandas desnecessárias assumidas. Já na segunda situação, onde o tédio parece predominar, você precisa encontrar formas de se sentir viva novamente. Uma forma é buscar maneiras de tornar o seu trabalho mais desafiador

Dominar a sua capacidade de foco depende da construção de um ambiente interno favorável, e isso só você pode fazer. Acessar uma performance superior em todas as suas atividades independe do nível de habilidade ou idade de quem a realiza, mas sim, do seu poder de foco.